Os desafio das/nas relações de trabalho


No mundo pós-moderno, as relações entre as pessoas no trabalho tendem a ficar mais fragilizadas. Assim como a velocidade da era influenciada pela veia midiática, pautada principalmente nos meios de comunicação virtual/digital, onde os seres humanos aguçam seus sentidos veementemente, notamos o imediatismo em potencial na transmissão da mensagem, na comunicabilidade atrelada a este contexto real e ferozmente, muitas das vezes, ligeiros e  fúteis nas relações profissionais. Estas cada vez mais secas, frias…interrompidas pela busca exacerbada do sucesso, na qual pisam uns nos outros para atingir bons êxitos.Esquecem da humanização do ambiente, tornando urgente inferências que   gerem a ruptura deste elo extremamente ambicionista. A atenção, o respeito, a ficação…inúmeras vezes acabam ficando no discurso, no mundo fictício, onde as pessoas se transformam em personagens abertas ao novo, ao outro…A abstração das visões das pessoas  integradas a lógica, a razão do intelecto humano  devem se converger,  para que o respeito ao outro possa fugir da ficção e se torne realidade, superando a competitividade do momento, e, do futuro, ainda que planejado, incerto. No ambiente de trabalho, a serenidade deve prevalecer para que a distribuição de tarefas não sucumbem os afetos trabalhísticos de muitos em detrimento daqueles que sugam espaços e cadeiras de chefia.O equilíbrio é fundamental. A junção de esforços, respeitadas as personalidades e atribuições, alinhados pela sintonia é o principal vínculo do bom êxito de qualquer instituição.

Robélia Aragão

Anúncios