Celebração e Respeito


Amigos, pratiquemos a PAZ e o RESPEITO neste mundo tão competitivo, no qual ora se perde, ora se ganha. Saibamos validar as opiniões, concepções e expectativas, pois estas são temporais. Mudam-se em conformidade com as demandas do tempo e espaço. Neste momento – culminante de uma etapa da democracia, as pessoas precisam ser serenas para celebrar as metas atingidas e respeitar os que não conseguiram. Filtrem. Silenciem. Vencedores – Celebrem sabiamente. Os que não lograram bons resultados: Compreendam de modo maduro.
Atentai para que relações não sejam atingidas com palavra e atos. Efêmero. Respeitemos o outro – criança, jovem, adulto e idoso, para que, também, sejamos respeitados nas nossas fragilidades. Aprendamos que “menos” e “mais”. Aprendamos que por conta do contexto inverdades são ditas. A euforia da vitória e a decepção da derrota não podem ser o fim, mas a mola propulsora de novos caminhos e projetos de vida.Também,não podemos ser motivos para geração de conflitos, mas de aprendizagem. Não esqueçamos que perdemos entes queridos, dores irreparáveis. Podemos ser os próximos. Logo, não percamos nosso tempo motivado com aquilo que nos diminui. Usemos a alteridade.

( Robélia Aragão)

Reflexão:Circunstâncias da vida


As circunstâncias da vida trouxeram-me tristeza e fragilidade. Revertendo-as em fortaleza enriquecida pela consciência, serenidade e fé em Deus. E mais, fortaleceram elos de amizade já existentes. O que vier será porque Deus estar permitindo que eu aprenda, mesmo que sofra ou sorria. Julgamentos de muitos são inferiores ao que realmente fui, sou e serei. (Robélia Aragão)

Vou tornar-me uma pessoa melhor: eu creio.


Tenho procurado usar da sabedoria para não me tornar uma pessoa ruim, diante da complexidade e provação impostas nesta vida, Já percebi que quando se luta por causas coletivas, devo tomar cuidado para não somente vivificar o outro e esquecer de mim. Mortificar-me não é o caminho. Resta-me observar que Cristo, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce, foram seres de luzes, porém apedrejados por um seres humanos em evolução. Aprendi vivendo e observando que o “bem” que foi feito nem sempre será superior as “maldades” daqueles que se incomodam com pessoas possuidoras de ideais e de posicionamentos. Aquele tem o perfil de pessoa ideológica parece que nasceu para sofrer e ser submetido a julgamentos, opiniões constantes de sujeitos inseguros e volúveis que teimam em dizer palavras que não proferimos e interpretar incoerentemente atos praticados. O que cabe diante deste cenário é aproveitar para aprender e buscar força em Deus, amor próprio e apoio de poucos confiáveis.Que na minha imperfeição, eu seja uma pessoa melhor.
(Robélia Aragão)
#reflexão#vida#luta

Sistema Democrático: o desafio do processo eleitoral e a administração da gestão pública


No sistema  democrático brasileiro, considerando a escolha e posse dos nossos representantes,  há algumas  situações relevantes a serem colocadas em pauta:

  • O desfaio de aproximar-se do eleitor e conquistá-lo;
  • O respeito execução das regras durante o processo eleitoral, sem sucumbir ao poder de barganha;
  • O ingresso na função pública como agentes políticos de modo justo;
  • A problemática de administrar a máquina pública, impregnada de vícios que devem ser rompidos para que a gestão pública seja efetivada.

Logo, o amadurecimento daqueles que almejam a posição de administrador é primordial para que possa dizer “sim” ou “não”, quando necessário para o interesse coletivo. E a observância do último deve ser superior ao individualismo vaidoso e ambicioso.

Robélia Aragão