Falei do Amor…


Há algum tempo que não escrevo sobre o amor… 

Esta palavra orginária do latim  – amor – incumbida de inúmeros conceitos. Relacionam a compaixão, afeição, atração, satisfação… a depender do contexto.

Todavia, quando falamos de relacionamentos afetivos, a palavra amor lateja em nossos corações e pensamentos. Pensamos, defendemos esta convicção mediante comportamento e atitudes que permitem que os órgãos sensoriais e os aspectos psicológicos sejam articulados, motivando o crédito que depositamos neste sentimento tão necessário neste mundo competitivo.

Amar… é uma conquista. Somente os desprendidos da ambição cega, podem vivenciá-lo, porque quem ama divide, troca e se entrega. Errar tentando acertar.

Nas diversas situações da vida, amamos, amamos… por tempo determinado e indeterminado. Não é à toa que o amor é classificado – amor carnal, platõnico, amores  materno e paterno, amor ao Ser Divino... Nos falamos com a alma que tipo de amor estamos vivendo em cada momento da nossa história.

Costumo dizer, o que seria de nós sem o amor? É ele que nos instiga a prosseguir, a gostar das coisas, a apreciar a vida, a se entregar ao outro, a acreditar que Deus existe.

Pensei…

Já que estou falando de amor, que palavras usarei para terminar esta exposição textual? Lembrei da Bíblia, de São João, pois sabiamente escreveu:

Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nesceu de Deus e chega ao conhecimento de Deus. Aquele que não ama não chegou a conhecer Deus, pois Deus é amor. E o amor de Deus manifestou-se desta forma no meio de nós: Deus enviou ao mundo o seu Filho Unigénito, para que, por Ele, tenhamos a vida. É nisto que está o amor: não fomos nós que amámos a Deus, mas foi Ele mesmo que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de espiação pelos nossos pecados. Caríssimos, se Deus nos amou assim, também nós devemos amar-nos uns aos outros.

Por fim, tenho que dar continuidade as minhas atividades pendentes, porém saio do ambiente virtual com a certeza de que fiz algo muito importante neste dia:  falei do amor.

Robélia Aragão

Professora e Coordenadora Pedagógica