Pensamentos meus: Asserção Positiva sobre o ato de recomeçar!


Não desistamos de viver! Se isto ocorrer não assumiremos as nossas tarefas, estas ligadas aos compromissos espirituais que permitem que galguemos passos em direção a evolução. Por isto, recomeçar é preciso, ainda que não tenhamos força para tal. Recorrer a Deus é o melhor e certeiro caminho! Ao invés de ficarmos lamentando,  achando que a vida acabou, devemos enxergar que esta é mais uma possibilidade dada para aprender, mediante sonhos encorajadores que podem nos refugiar da descrença. Pensar e agir com positividade estes são os atos primordiais para evitar o fracasso depressivo.

Robélia Aragão

Texto em Homenagem ao Meu Singular PAI!


PALAVRAS DE…SAUDADE…PAI!

PAI QUERIDO

#‎PedroBarreto‬

#‎Paipresente‬

Nestes últimos dias muitas situações/momentos aconteceram, o mais marcante a ida do Meu Pai – Pedro Barreto – para outro plano. Incomum ficar sem ter o quê dizer, o quê escrever! Mas esta fora a vez! Sem palavras para manifestar o misto de sentimentos de “perda” e ao mesmo tempo de “tranquilidade”. Por quê?

Porque perder um PAI para outra esfera não é fácil, ainda mais quando sua mãe não mais está! Saber que ele não estará vivo para vê-lo, ouvir seus questionamentos/conselhos/estímulos…É duro! Mas por outro lado, sentir que o meu PAI não mais está aqui, que partiu com o sereno sorriso na face reacende a certeza de que sua MISSÃO fora cumprida! Meu PAI fora em PAZ!

O reflexo disto esteve presente em suas ações e atitudes de vida! Era para ser FILHO?! Foi um excelente, cuidando muito jovem do seu PAI, que também ficou acometido de doenças logo cedo e sempre sereno no trato com os mais idosos, inclusive sua mãe! Era para ser IRMÃO? Fora um tranquilo irmão, respeitando os irmãos, acolhendo os seus familiares, esposa, sobrinhos…com muita alegria e respeito. Era para ser ESPOSO? Fora um excelente MARIDO! Companheiro presente, fiel, solidário e sereno no trato com a sua esposa LUZIA; presente na saúde e na doença. Perto em corpo e alma até a sua partida! Era para ser PAI? Fora ímpar! Um PAI que não desistiu de seus filhos até quando os demais achavam que não teria solução! Sou a prova disto: prematura, numa época e espaço (zona rural) sem muitos recursos, não desistiu de procurar alternativas médicas para que hoje eu existisse! Um PAI que mesmo na sua humildade apostou nos seus filhos, educou-os!Na minha infância… Um pai que sempre desconsiderou críticas para colocar seus filhos na escola, um ser que sempre auxiliou na educação. Lembro que quando acordava , o café já estava colocando à mesa, mas antes me acordava puxando o dedão do pé! Sabia elogiar na hora certa, chamar a atenção na hora devida. Era, de fato, o equilíbrio em pessoa!Não fora diferente com nenhum dos meus IRMÃOS! PAI de todos, sabendo respeitar as peculiaridades e identidade de cada um!

Fora tão bom PAI, que até hoje, antes de fazer algo, penso: será que não vou decepcionar meu pai – Pedroca? Sempre o respeitei e tive receio de um dia magoá-lo com atitudes que ferisse a educação, os valores que a mim foram concedidos. Por isto, a CONSCIÊNCIA TRANQUILA, de que ele partiu porque chegara a sua hora, fora perspicaz e coerente no seu papel de SER HUMANO! Partiu tão rápido porque não merecia sofrer com doenças neste plano terrestre! Nunca o vi reclamar da vida, manifestar atitudes mesquinhas e ambiciosas…Mas sempre nos estimulou, faça a sua parte, muito bem feito, não importa o quê e aonde. Nunca o vi afrontar o outro, sereno, sempre dizia o tempo dará resposta.

E VIZINHO/TIO? Fora, também, um sábio TIO, um sábio VIZINHO! Pois o respeito no trato ao outro, com atos de ação e/ou silêncio sempre perpassaram as suas relações! Não era à toa que a casa, até a sua partida, era cheia de crianças, adolescentes, jovens… os quais riam e dilaogavam com a maior naturalidade com Sr. Pedro, com Tio Pedro! E, por fim, fora um excelente GENRO? Fora sim. Minha avó Raquel sempre o elogiava, adorava.. E, isto nos enchia de orgulho! Afinal, como muitos brincam,” sogra é problema”; para meu pai, não. Pois na verdade, quando tratas bem o filho d`outro, e, isto ele fez muita bem, sogra vira mãe, também. Minha avó assim considerava o meu pai!

Por fim, sem muita a dizer…muito triste, triste mesmo!Mas nunca sofredora, pois tenho um PAI que estará VIVIFICADA/ETERNIZADO para sempre em minha VIDA/CORAÇÃO! Resta-me pedir SABEDORIA para continuar vivendo, consultando o legado de educação e valores disponibilizados, por ele e minha mãe, na minha trajetória de vida, para que junto aos meus irmãos, nãos os deixem acabar. E com o apoio de muita gente querida – familiares, amigos queridos, colegas…certamente, a vida seguirá!

PAI – PEDRO BARRETO – FICA EM PAZ! Revelo a tristeza de não mais tê-lo aqui, mas a supremacia da ALEGRIA DE TER SIDO SUA FILHA é inexplicável!

Na oportunidade agradeço a manifestações de respeito de todos, familiares, amigos íntimos, colegas, colegas de trabalho, conhecidos… Os que se importam com você, estão contigo nos momentos de vitórias e nos de tristeza! Ora para celebrar, ora para apoiar! – Eis a lição!

Sua filha,

Robélia Aragão

O que ainda temos?!


O que ainda temos ?! Sempre a esperança, respaldada na FÉ em DEUS! O que ainda temos?! Sempre o respeito, reforçado no AMOR ao PRÓXIMO! O que ainda temos?! Sempre a alegria, reforçada na FELICIDADE de estar VIVA! O que ainda temos?! Sempre a serenidade, pautada na SABEDORIA construída ao longo da EXISTÊNCIA! O que ainda temos? A observação, referendada no SILÊNCIO necessário ao CRESCIMENTO! O que ainda temos?! O olhar atento, oriundo da VONTADE que temos de VISUALIZAR o que nem sempre, para alguns, está explícito. (Robélia Aragão)

Início de Semana


Todo início de semana

Ressurge a esperança de bons dias.

Dias de paz e alegria.

Dias de luta e superação.

Dias de muito amor no coração.

Todo início de semana

Deve deixar para trás

As amarguras, as decepções

Pois é um nascimento de uma nova semana

Com possibilidades de lapidações.

Todo início de semana

Deve apontar

Caminhos a trilhar

Mentes para equilibrar

Atitudes para amar!

Todo início de semana

É um recomeço  para aqueles que seguem a caravana

Deus como guia

E a Fé  como relíquia.

(Robélia Aragão)

Insonia: esperando o amanhecer.


Depois de um longo dia de trabalho…Em casa, tomei banho, jantei…deite-me. Revirava de um lado para outro. O sono continuava distante.Fechei os olhos. Nada. Rezei. Nada. O jeito foi levantar. Liguei o computador e fui pesquisar alguns assuntos na internet para que o entretenimento me fizesse relaxar. Li poemas, textos jornalísticos…assisti pequenos vídeos…Não  há dúvida, permaneço noturna. Altas horas, o sono foi chegando devagarinho.Corpo e mente cansados. Deitei-me. Cobertas aqueceram meu corpo.Relaxei.Sonhei que logo pela manhã, abriria os meus olhos, viria o sol lindo…Acordei.Viva. Graças a Deus.

Transformação constante


Num tempo como o que vivemos, mudanças ocorrem frequentemente. Tudo se transforma.Valores, atitudes e respeito continuamente são ressignificados pelas pessoas em decorrência do pensamento, dos conhecimentos constituídos, das próprias vivências. Diante disso, ora os indivíduos se distanciam, ora se aproximam. Relações surgem nesta perspectiva, transcrevendo várias visões e posicionamentos, que refletem em nossa família e no trabalho. Nao foi diferente neste ano de 2012. Houve transformação em nossas vidas!Aprendemos.Crescemos.Temos que agradecer as pessoas que colaboraram para isto, uma vez que até os sofrimentos nos fizeram amadurecer. Sejamos gratos a Deus!

Feliz Natal e um Ano Novo repleto de PAZ e AMOR!

2013 vem aí!

Robélia Aragão

Falei do Amor…


Há algum tempo que não escrevo sobre o amor… 

Esta palavra orginária do latim  – amor – incumbida de inúmeros conceitos. Relacionam a compaixão, afeição, atração, satisfação… a depender do contexto.

Todavia, quando falamos de relacionamentos afetivos, a palavra amor lateja em nossos corações e pensamentos. Pensamos, defendemos esta convicção mediante comportamento e atitudes que permitem que os órgãos sensoriais e os aspectos psicológicos sejam articulados, motivando o crédito que depositamos neste sentimento tão necessário neste mundo competitivo.

Amar… é uma conquista. Somente os desprendidos da ambição cega, podem vivenciá-lo, porque quem ama divide, troca e se entrega. Errar tentando acertar.

Nas diversas situações da vida, amamos, amamos… por tempo determinado e indeterminado. Não é à toa que o amor é classificado – amor carnal, platõnico, amores  materno e paterno, amor ao Ser Divino... Nos falamos com a alma que tipo de amor estamos vivendo em cada momento da nossa história.

Costumo dizer, o que seria de nós sem o amor? É ele que nos instiga a prosseguir, a gostar das coisas, a apreciar a vida, a se entregar ao outro, a acreditar que Deus existe.

Pensei…

Já que estou falando de amor, que palavras usarei para terminar esta exposição textual? Lembrei da Bíblia, de São João, pois sabiamente escreveu:

Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nesceu de Deus e chega ao conhecimento de Deus. Aquele que não ama não chegou a conhecer Deus, pois Deus é amor. E o amor de Deus manifestou-se desta forma no meio de nós: Deus enviou ao mundo o seu Filho Unigénito, para que, por Ele, tenhamos a vida. É nisto que está o amor: não fomos nós que amámos a Deus, mas foi Ele mesmo que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de espiação pelos nossos pecados. Caríssimos, se Deus nos amou assim, também nós devemos amar-nos uns aos outros.

Por fim, tenho que dar continuidade as minhas atividades pendentes, porém saio do ambiente virtual com a certeza de que fiz algo muito importante neste dia:  falei do amor.

Robélia Aragão

Professora e Coordenadora Pedagógica