Pensamentos Meus: Silêncio.


Alguns silêncios significam omissão, outros conveniência. Alguns silêncios retratam respostas, outros apenas elos compreensíveis mediante olhares e sentimentos. Alguns silêncios são concebidos como atos sábios. Alguns silêncios significam pausas para dar a oportunidade que outros se manifestem.Alguns silêncios são compreensíveis, pois nem sempre estamos preparados para nos manifestar.Alguns silêncios são pertinentes, pois há vitórias que parecem insignificantes, quando na verdade são grandiosas para aquele que galgou e superou limites. Assim é a Lei do Silêncio, nem sempre óbvia! (Robélia Aragão)

Anúncios

CANTIGA DO PERDÃO


 

Não te iludas, amigo,
Por mais se expandam lágrimas contigo,
Todo lamento é vão…

Tudo o que tende para a perfeição,
Todo o bem que aparece e persiste no mundo
Vive do entendimento harmônico e profundo,
Através do perdão…
Perdão que lembra o sol no firmamento,
Sem se fazer pagar pelo foco opulento,
A vencer, dia-a-dia,
A escuridão da noite insondável e fria
E a nutrir, no seu longo itinerário,
O verme e a flor, o charco e o pó, o ninho e a fonte,
De horizonte a horizonte,
Quanto for necessário;

Perdão que nos destaque a lição recebida
Na humildade da rosa,
Bênção do céu, estrela cetinosa,
Que, ao invés de pousar sobre o diamante,
Desabrocha no espinho,
Como dizer que a vida,
De caminho a caminho,
Não despreza ninguém,
E bela, generosa, alta e fecunda,
Quer que toda maldade se transfunda
Na grandeza do bem…

Perdão que se reporte
À brandura da terra pisoteada,
Esquecida heroína de paciência,
Que acolhe, em toda parte, os detritos da morte
E sustenta os recursos da existência,
Mãe e escrava sublime de amor mudo,
Que preside, em silêncio, ao progresso de tudo!…

Amigo, onde estiveres,
Assegura a certeza
De que o perdão é lei da Natureza,
Segurança de todos os misteres.

Perdoa e seguirás em liberdade
No rumo certo da felicidade.

Nas menores tarefas que realizes,
Para lembrar sem sombra os instantes felizes
Na seara da luz,
Na qual a Luz de Deus se insinua e reflete,
È forçoso exercer o ensino de Jesus
Que nos manda perdoar
Setenta vezes setembro Cada ofensa que venha perturbar
O nosso coração;
Isso vale afirmar,
Na senda de ascensão,
Que, em favor da vitória,
A que aspiras na luta transitória,
É mais do que importante, é essencial
Que te esqueças, por fim, de todo mal!…
E que, em tudo, no bem a que te dês,
Seja aqui, mais além, seja agora ou depois,
Deus espera que ajudes e abençoes,
Compreendendo, amparando e servindo outra vez!…

pelo Espírito Maria Dolores. Do livro: Antologia da Espiritualidade, Médium: Francisco Cândido Xavier.

 

SENDA DE LUZ


Fonte: Internet
Fonte: Internet

Se você pode escutar
O verbo áspero e vão,
Doando serenidade,
Em forma de reação;

Se anota sem qualquer mágoa,
Lamentações hora a hora,
Entendendo e desculpando
As aflições de quem chora;

Se entrega pontos de vista,
No que deseja ou que pensa,
Olvidando no caminho,
Qualquer espécie de ofensa;

Se acolhe a sombra da injúria
Que a estrada lhe desmerece,
Ofertando por resposta,
O benefício da prece;

Se acaso registra o mal
Rondando ou ferindo alguém,
E silencia amparando
A força viva do bem;

Se aceita o próprio dever
Por luz que a vida lhe aponta,
Trabalhando e abençoando,
A servir sem fazer conta…

Então você abraçou
A bênção da própria cruz
E está seguindo o roteiro
Da redenção com Jesus.

Casimiro Cunha/Francisco Cândido Xavier

É SERÁ


Meu amigo, em cada golpe
Da luta que nos reclama,
A divisa em toda parte
É sempre: “perdoa e ama”.

Perante qualquer assunto
Do mundo que nos magoa,
A legenda, cada dia,
Será sempre: “ama e perdoa”.

À frente de toda injúria,
Em forma de pedra e lama,
A fórmula do caminho
É sempre: “perdoa e ama”.

Em toda dificuldade
Na fé que nos abençoa,
A senha, no amor de Cristo,
Será sempre: “perdoa e ama”.

Chico Xavier

Uma xícara de café!


Para reflexão. Favor, leia!!


Uma xícara de café!


Um grupo de profissionais, todos vencedores em suas carreiras, reuniram-se para visitar seu antigo professor.
Logo a conversa parou nas queixas intermináveis sobre “stress’ no trabalho e na vida em geral. O professor ofereceu café, foi para a cozinha e voltou com um grande bule e uma variedade das melhores xícaras: de porcelana, plástico, vidro, cristal, algumas simples e baratas, outras decoradas, outras caras, outras muito exóticas…
Ele disse:
– escolham suas xícaras e sirvam-se de um pouco de café fresco.
Quando todos já haviam se servido, o mestre pacientemente conversou com o grupo:
– Como puderam notar, imediatamente as mais belas xícaras foram escolhidas e as mais simples e baratas ficaram por último. Isso é natural, porque todo mundo prefere o melhor para si. Mas essa é a causa de muitos problemas relacionados com o que vocês chamam “stress”.
Ele continuou:
– asseguro que nenhuma dessas xícaras acrescentou qualidade ao café. Na verdade, o recipiente apenas disfarça ou mostra a bebida. O que vocês queriam, na verdade, era café, não as xícaras, mas instintivamente vocês quiseram pegar as melhores.
Então, eles começaram a olhar para as xícaras uns dos outros.
Agora pense nisso:
A vida é o café.
Trabalho, dinheiro, status, popularidade, beleza, relacionamentos, entre outros, são apenas recipientes, que dão forma e suporte à vida. O tipo de xícara que temos não pode definir nem alterar a qualidade da vida que recebemos.
Muitas vezes, concentrando-nos apenas em escolher a melhor xícara, nos esquecemos de apreciar o café! As pessoas mais felizes não são as que têm o melhor, mas as que fazem o melhor com tudo o que têm!
Então se lembrem:
Viva simplesmente. Seja generoso. Seja solidário e atencioso. Fale com bondade. O resto deixe nas mãos de Deus, porque a pessoa mais rica não é a que mais tem, mas a que menos precisa.

OBS: Não sou a autora deste texto.