Refletindo…Edgar Morin


Num cenário brasileiro em que vivemos, tão cheio de pessoas carregadas de desilusões e desumanizações, nos instiga a ter dois posicionamentos: desânimo ou revitalização. Logo, me lembrei de Edgar Morin, em seu artigo Uma mundialização plural: 

“É possível, portanto, manter a esperança na desesperança. Acrescentemos a isso o apelo à vontade em face da grandeza do desafio. Embora quase ninguém ainda tenha consciência, nunca houve uma causa tão grande, tão nobre, tão necessária quanto a humanidade para, ao mesmo tempo e inseparavelmente, sobreviver, viver e humanizar-se. “

Anúncios

Uma xícara de café!


Para reflexão. Favor, leia!!


Uma xícara de café!


Um grupo de profissionais, todos vencedores em suas carreiras, reuniram-se para visitar seu antigo professor.
Logo a conversa parou nas queixas intermináveis sobre “stress’ no trabalho e na vida em geral. O professor ofereceu café, foi para a cozinha e voltou com um grande bule e uma variedade das melhores xícaras: de porcelana, plástico, vidro, cristal, algumas simples e baratas, outras decoradas, outras caras, outras muito exóticas…
Ele disse:
– escolham suas xícaras e sirvam-se de um pouco de café fresco.
Quando todos já haviam se servido, o mestre pacientemente conversou com o grupo:
– Como puderam notar, imediatamente as mais belas xícaras foram escolhidas e as mais simples e baratas ficaram por último. Isso é natural, porque todo mundo prefere o melhor para si. Mas essa é a causa de muitos problemas relacionados com o que vocês chamam “stress”.
Ele continuou:
– asseguro que nenhuma dessas xícaras acrescentou qualidade ao café. Na verdade, o recipiente apenas disfarça ou mostra a bebida. O que vocês queriam, na verdade, era café, não as xícaras, mas instintivamente vocês quiseram pegar as melhores.
Então, eles começaram a olhar para as xícaras uns dos outros.
Agora pense nisso:
A vida é o café.
Trabalho, dinheiro, status, popularidade, beleza, relacionamentos, entre outros, são apenas recipientes, que dão forma e suporte à vida. O tipo de xícara que temos não pode definir nem alterar a qualidade da vida que recebemos.
Muitas vezes, concentrando-nos apenas em escolher a melhor xícara, nos esquecemos de apreciar o café! As pessoas mais felizes não são as que têm o melhor, mas as que fazem o melhor com tudo o que têm!
Então se lembrem:
Viva simplesmente. Seja generoso. Seja solidário e atencioso. Fale com bondade. O resto deixe nas mãos de Deus, porque a pessoa mais rica não é a que mais tem, mas a que menos precisa.

OBS: Não sou a autora deste texto.